sábado, 30 de janeiro de 2010

Ninguém me transforma num farrapo!

Numa conversa, uma amiga disse-me: A mim, ninguém me transforma num farrapo humano.
Fiquei a pensar que ela tem razão. As pessoas até podem querer reduzir os outros a farrapos, mas só o conseguirão com aquelas que já nasceram derrotadas à partida.
Fazendo a retrospectiva, olhando para trás, fui buscar o poema que o meu Professor de Português me dedicou quando eu era jovem e que me tem acompanhado em todos os momentos da minha vida, e a verdade, é que chegado este momento, sei, que não sou só mais uma, mas uma. E isso é que é importante.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Salut, çá va?

Lembras-te?
Horas doidas por um nada
Horas mortas de decisão
Em busca de um caminho
a procurar
Sabendo que o hoje é só
a véspera de amanhã
Lembras-te?
Um caminho uma velocidade um passeio
e um desejo
calma obstinada e luta, contínua
Sabes?
querer ser poder
Nem sempre é vencer
Quere sempre
E um dia
O pouco a pouco que juntaste
Desembocará exausto no cais
Saberás então
Que foste
Que és
Que serás.
Não mais uma
Mas uma.
E isso é que é importante.

(Autor: Manuel Vasconcelos - meu professor de Português/Francês no 5º ano, 1974/1975)

sábado, 23 de janeiro de 2010

Honrar a toga que se veste.

Fruto da degradação social no que toca aos princípios, que hoje se vive, é comum ouvir o povo dizer, que os Advogados são uns aldrabões, uns vigaristas.
É uma afirmação tão injusta como aquele que se ouve em relação aos funcionários públicos.
Certo é que há bons e maus profissionais em todos os sectores de actividade. Simplesmente são sempre mais atacados, aqueles que têm maior contacto com o público em geral.
No que toca aos Advogados, não posso deixar de me sentir ofendida com tal afirmação.
Primeiro, porque os Advogados são mesma aquele profissional a que se recorre quando se está metido em sarilhos, segundo porque na grande maioria das vezes, o Advogado desdobra-se, vira-se e revira-se para tentar resolver o problema da pessoa que o contrata.
Não o faz de graça? É verdade, não o pode fazer. Todos têm o direito de receber a contrapartida do seu trabalho, e até os Advogados têm contas para pagar, comida para comprar e impostos para entregar ao Estado..
Em certos casos, trabalham mesmo de graça, e na grande maioria desses casos, não são reconhecidos, por tal trabalho.
As pessoas esquecem facilmente que um Advogado é um profissional cuja luta é a defesa da Justiça e do Direito dentro da Lei, ainda que a ache injusta.
É por um Advogado ser tudo isto, que tenho um orgulho imenso em honrar a toga que envergo, exercendo a minha profissão dentro da velha máxima: Um Advogado, é como a mulher de César: Não lhe basta ser honesto, é preciso, também, parecê-lo!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Vivendo e aprendendo.

Dizem que a grande revolução deste seculo se deu quando as mulheres começaram a tomar a pílula, controlando a natalidade e o seu próprio corpo.
A "revolução" trouxe a liberdade sexual, para as mulheres.
Actualmente, as "revolucionárias" dos anos idos, são já ilustres e respeitadas pessoas da sociedade.
Mas, e aqui reside a minha recente aprendizagem, não perderam o espírito revolucionário de outrora.
Antes pelo contrário, a teoria aperfeiçou-se com o passar dos anos, e agora são estas respeitadas senhoras de sociedade quem mantém vivo o espírito da "revolução".
No entanto, não deixam de o fazer, como dizem os Brasileiros, "debaixo do pano", e como dizem os Portugueses, "pela calada da noite", "na moita", desvirtuando assim a "revolução", que se quer às claras, sem nada a esconder...
Porque será?
Perderam a frontalidade da juventude?

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

O Amor é lindo.

É verdade sim senhor. O amor comanda a vida.Acaba um, começa outro. Passado um curto período, para fazer o luto de um romance, há que procurar um novo, porque a vida é para ser vivida a 100%, nao deve ser evitada. Confesso que admiro quem tem a coragem de se assumir como um verdadeiro predador nesta selva em que se transformou o mundo em que habitamos, sem tabus, sem preconceitos, sem compromissos, para com os outros ou para consigo próprio, quem tem a coragem para apenas e só satisfazer o seu instito animal.
Ah valente, como se diz na minha terra!

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

É mais fácil viver com uma má consciência do que com uma ma reputação.

Apesar da evolução humana nas suas relações sociais, esta frase de Nietzsche, ainda faz muito sentido.
Vive-se melhor com um peso na consciência do que com reputação de má pessoa.
É que a má consciência vive bem escondidinha, enquanto que a má reputação (seja ela verdadeira, ou falsa), está à vista de todos....
Quando nos apercebemos de que todos os que nos rodeiam conhecem bem aquilo que nos pesa na consciência, (má), e ajuizam sobre tal peso, forma-se a má reputação, e aquilo que era uma má consciência, suportável, transforma-se numa má reputação, insuportável.
Este filósofo sabia do que falava.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Roendo uma laranja....

Os fins de semana em Porto Covo sempre conseguiram pôr-me bem disposta.
Não sei bem o que é...às vezes penso que é mesmo o mexer na terra, nas plantas, a paisagem, o barulho do mar, tudo junto, faz-me reconciliar com o universo. Na segunda, tudo me parece mais bonito, mais fácil. Mas começo logo a contar o tempo que falta para voltar...
Realmente, aquele meu cantinho, faz-me muito bem.
Agora, com forças retemperadas, há que enfrentar os meus dias, sempre intensos e plenamente preenchidos.
Em muitos dias, talvez esta seja realmente a primeira semana em que vou conseguir retomar o meu rumo.
A pouco e pouco, vou conseguindo agarrar a minha vida de volta, recuperando tudo que me foi roubado, incluindo a paz de espírito.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Vampirismo social. Existe? Existe, claro que existe.

Vagueia-se pela noite, de bar em bar, bebem-se uns copos, lançam-se para o ar sonoras gargalhadas, gosta-se de tudo: daquela música específica, daquela tese política, dos mexericos locais, das danças folclóricas, da happy hour diáriamente, onde se joga só conversa fora, nunca, mas nunca, se demonstra qualquer cansaço ou fraqueza, desconhecimento ou desinteresse, os olhos deambulam em todas as direcções, soam piadas giras, um toque casual, um afago, um "gosto muito" sussurrado, enfim, todo um cenário preparado falsamente descontraído e casual, que tem como único objectivo, caçar alguém que ajude a preencher o vazio de uma vida tão cheia, que transborda, exteriormente,ao contrário do interior que se esvazia de cada vez que se repete a estratégia. Acreditem em mim: tenham cuidado com o/a(s) vampiro/a (s), porque andam aí, perto, muito perto, tão perto que se sente a sua respiração ofegante e os seus olhares acutilantes fixados na nossa nuca, advinhando, prevendo cada um dos nossos movimentos, para, no momento certo, atacarem!

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Os amigos são o melhor que há!

A amizade, ao contrário do amor, raramente acaba em divórcio. Muito menos litigioso.A amizade mantém-se por toda uma vida, e quando é sincera, não acaba porque se conheceu um novo amigo, fortalece-se e alargam-se as redes. Ao contrário do amor. A amizade não acaba, a não ser se houver uma traição. Tal como o amor, este também acaba com a traição.
Todo este arrazoado para dizer que quando acaba o amor resta sempre a amizade. E hoje, mais uma vez, pude constatar que um amigo sincero é para toda a vida, e que o amor pode ir e vir mas os amigos são mesmo para toda a vida e para todas as horas, para nos enxugarem as lágrimas, para nos ouvirem ou para nos dizerem, pura e simplesmente: não estás só, eu estou aqui.
É bom, é muito bom ouvir e sentir isto dos meus amigos de sempre. É bom porque é sinal de que serei certamente, merecedora desta amizade sem peias, sem embaraços, sem condições, e é bom porque me traz conforto e segurança de que haja o que houver, não estou sózinha.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Mau, mas mesmo mau, é partir uma perna....

Os meus desabafos têm sido um bocado lamechas...Ná, não sou assim. Sou positiva e não vai ser um coice que me vai deitar abaixo. Mau, mesmo mau, é partir uma perna ou qualquer outro osso.
Então vamos lá a projectos. Este ano novo quero mesmo, mas mesmo muito, viajar para terras do tio Sam e se ainda houver tempo e € não descarto a hipótese de voar direitinha até à terra do tio Lenine...
Quero conhecer estas duas culturas tão antagónicas.
Ah, mas também tenho um casamento. Bem, não é um casamento qualquer, é O CASAMENTO, e é só o da pessoa mais importante da minha vida. (É nesta altura que o combóio do tempo me atropela). No fundo, é só mais uma etapa deste tempo que ocupo neste planeta!

domingo, 10 de janeiro de 2010

O Inverno está a chegar ao fim.Viva a Primavera

Tenho andado "invernosa" é verdade.Mas agora já começo a sentir o cheiro da Primavera.
Ou talvez seja só o meu desejo de que ela venha depressa...nao sei...
A invernia que tem pairado tem fundamento na hipocrisia, no cinismo das pessoas, que mais uma vez constatei, e senti na própria pele.
Juro que não compreendo aquelas pessoas que dizem que só querem é curtir a vida, doa a quem doer, e muitas vezes fazem-no passando sobre tudo e todos para o conseguirem. Será possível alguém conseguir ser feliz, quando essa felicidade é construída em cima de outros seres humanos?
Não há princípios morais? Não há respeito? só conta o "eu" e "agora"?
Juro, é mesmo inadmíssivel para mim!
Talvez seja porque eu sempre considerei que não tenho que pisar em cima de ninguém para viver e tentar atingir a minha felicidade. Talvez porque nunca olhei apenas para o meu próprio umbigo.
No fundo, tenho pena dessas pessoas. Acabarão com certeza, tristes e sós, porque o que fizeram aos outros vai cair-lhes em cima.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Obstáculo ultrapassado.
Apesar disso, a minha fé nos animais de duas patas, sofreu um abalo tão forte, que não sei se será possível restaurar tal fé.
É claro que sou optimista e que acredito que é possível vencer a hipocrisia, o cinismo, a maldade de tais bichinhos.
Veremos, no futuro, se a minha tese de optimismo pode ser comprovada.
Diz quem sabe, que o tempo é um óptimo remédio.
Outra teoria que tenho que esperar para comprovar se é verdade.
Haja forças para virar a mesa e mudar o jogo.
Felizmente, que no meio deste atoleiro todo, brotam outros sentimentos e pessoas tão importantes que fazem a diferença entre a fé na raça humana e a descrença total.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Renascer das Cinzas

Queimei, em 2009 os últimos cartuchos da depressão.
Agora, que venha 2010 em força que não me assusta. Cá o espero. O que não nos mata torna-nos mais fortes. Cuidado que me sinto forte como um leão.
A minha estratégia de defesa vai ser o ataque. Nesta selva que é a vida, deixei de ser caça para passar a caçadora.
Uns pózinhos (sim que uns quimiquozinhos nunca fizeram mal a ninguém), e até a vida passa a ser cor de rosa.
Em frente que atrás vem gente.

domingo, 3 de janeiro de 2010

Bem dia 31 não tive tipo de blogar.
Andei muito ocupada a preparar a noite de ano novo.
E apesar de estar com um humor de cão (cadela), até foi agradável....
Até encontrei pessoas que não via há muito tempo e gostei de ver e falar com elas...
A noite acabou já de manhã e sem muitas lágrimas. Tenho mesmo que me livrar delas.
Pintei o cabelo de ruivo. Não quero ser confundida com uma loira. (nenhum preconceito contra as loiras, obviamente).
Bem, o dia 1 e o 2 não teve horas suficientes para desabafar.....Só um pequenino me ocorre.
Morra 2009, Viva 2010.
Avisaram-se que não podia fazer brindes a desejar a quem me maltratou, que recebessem o mesmo.....Mas, não resisti e desejei que aqueles que me magoaram em 2009 recebessem o mesmo sofrimento mas em dose dupla.
De certeza que já não vou para o Céu.